8 de mai de 2011

Homofobia não pode, mas preconceito religioso sim



O reconhecimento do casamento gay pelo STF (supremo Tribunal Federal) criou uma onda de manifestações de apoio na internet e discriminação. No microblog Twitter várias pessoas resolveram comemorar ridicularizando evangélicos, incluindo o Pastor Silas Malafaia.






O assunto ficou por algumas horas sendo um dos mais publicados do Twitter no Brasil, a tag  #uniaohomoafetiva, que assumiu a primeira posição deu lugar um tempo depois a ofensas como #todoscrentechora e #chupamalafaia, com ironias, palavrões e xingamentos.

O que mais se via eram palavrões direcionados ao líder da Igreja Vitória em Cristo, Pastor Silas Malafaia, por sua luta contra causas gays: “#crente fede #chupamalafaia safado”, afirmou uma usuária. “Ele vai pro céu da boca da onça, isso se a onça não for Homo, tbéemm! kkkkkkkk”.

Muitos cristãos e não cristãos reprovaram a criação e utilização das hashtags: “Sinceramente, acho injusta e preconceituosa a tag #todoscrentechora”, afirmou a jovem Suelen Gomes. “Antes crentes tinham preconceito contra homossexuais, agora é o contrário. #todoscrentechora is bullshit. Quem é preconceituoso agora?”, disse Micael Wandermurem. Nenhum deles afirma em seus perfis que são evangélicos ou se quer creem em Deus.

Para a twitteira Bia Nunes há preconceito nas palavras: “Falando em preconceitos, me explica porque #todoscrentechora foi parar nos TT’s (ranking de assuntos mais falados)? Tipo, homofobia não pode, mais questão religiosa pode zuar?” e completa: “Eu sou crente, tenho amigos gays, e não tenho preconceito nenhum, e ai? Não julguem todos por um grupo ;)”, concluiu.


STF não aprovou casamento homossexual

Vale lembrar que a decisão não se trata de aprovação do casamento homossexual, a proposta é um dispositivo legal que garante aos homossexuais seu reconhecimento como casal, mas não lhes da as mesmas garantias que os casados têm, como a permissão para adotar o sobrenome do companheiro. A união é tratada, basicamente, como um acordo comercial.

Os homossexuais, para serem reconhecidos em uma união estável, precisam cumprir os mesmo requisitos de casais heterossexuais, como convivência pública, duradoura e contínua. Para reconhecer a união, eles devem procurar um cartório e registrar a estabilidade da relação.

Com a decisão, 112 direitos que até então eram exclusivos aos casais formados por homem e mulher poderão ser estendidos aos casais homossexuais, como comunhão de bens, pensão alimentícia, pensão do INSS, planos de saúde e herança.


PLC 122

Aproveitando a polêmica, a PLC 122, lei anti-homofobia, acabou também se tornando um dos assuntos mais falados no twitter por alguns momentos. Simpatizantes da causa gay se mostraram mais confiantes na aprovação da lei no Senado.


 Fonte: Veja, Gospel Mais|Pátio Gospel Noticias

0 comentários :

Postar um comentário

"Respeite sempre a opinião do próximo"

 
^ TOP